<< voltar

Ação “Somos iguais com as nossas diferenças”

No segundo semestre de 2016, começamos a preparar a oficina interdisciplinar “Somos iguais com as nossas diferenças”. A previsão de aplicação da oficina nas escolas participantes é março de 2017.

A ideia surgiu a partir de uma necessidade identificada nas escolas que fazem parte do subprojeto Filosofia: relatos chegavam da observação de comportamentos pouco empáticos entre os estudantes em direção à pessoas mais velhas ou que apresentam algum tipo de necessidade ou acompanhamento especial (deficiência visual ou auditiva, obesidade, gravidez etc.).

Tendo em vista essa realidade, começamos a pensar em um modo de intervir na comunidade escolar que pudesse aliar informação com mudança de atitude. Nesse momento, pudemos contar com a ajuda da Profa. Dra. Maria Isabel Veras Orselli, do curso de Engenharia Biomédica do Centro Universitário Franciscano. Com o apoio técnico e humano da profa. Maria Isabel em nossas reuniões, apareceu a ideia de montarmos uma oficina interdisciplinar que buscasse o diálogo entre áreas distintas e, desse modo, trouxesse algum montante de conhecimento específico para os estudantes, mas por meio de uma atividade lúdica. Assim, surgiu a ideia de simularmos dificuldades de movimentação enfrentadas por pessoas reais (por ex.: subir escadas quando se está grávida, manter-se equilibrado em pé no ônibus quando se é idoso ou deficiente visual etc.) nos estudantes a partir da criação de avatares e da medição do equilíbrio utilizando o “Wii Base Balance Board” aliado a um programa de computador.

O primeiro passo da Oficina foi a criação e confecção dos avatares e o segundo passo foi o ‘teste de equilíbrio” no laboratório de Biomecânica do Centro Universitário Franciscano. Confiram abaixo alguns registros de nossas reuniões (da confecção dos avatares à reunião no laboratório):

DSC01682

 

 

 

DSC01699WP_20161117_16_06_10_Pro

 

WP_20161117_16_07_01_Pro

WP_20161117_16_20_11_Pro

WP_20161117_16_29_11_Pro

O projeto está em fase de finalização!

A próxima etapa consiste em discutirmos modelos de deficiência para prepararmos a abordagem da questão do respeito às diferenças.

Equipe Pibid Filosofia/UNIFRA