<< voltar

Seminário de leitura: “Ensino de Filosofia e Currículo”

Durante o primeiro semestre de 2016, dentro de nosso Seminário Permanente de Leitura, tivemos a oportunidade de ler e discutir todos os capítulos do livro “Ensino de Filosofia e Currículo” do prof. Ronai Pires da Rocha.

Abaixo alguns depoimentos sobre essa ação:

ensino_de_filosofia_e_curriculo

O livro Ensino de Filosofia e Currículo, do Professor Ronai Pires da Rocha,  trata da transversalidade curricular, buscando uma conexão com as demais disciplinas escolares. Ronai defende a ideia de que a disciplina de Filosofia no Ensino Médio é portadora legítima das questões  que não recebem respostas adequadas no interior das outras disciplinas e que são respostas que não podem ser relegadas a segundo plano, pois fazem parte do plano de aprendizagem dos estudantes, correspondem às curiosidades fundamentais dos seres humanos. Foi um estudo muito rico por contribuir com a reflexão que se realiza constantemente em torno das nossas atividades escolares e por ser uma das poucas  publicações dedicadas a este tema.” Prof. Jerônimo Lauer (Prof. Supervisor da Escola Rômulo Zanchi)

“O livro Ensino de Filosofia e Currículo, do professor Ronai Pires da Rocha, nos remete a uma reflexão acerca do ensino de Filosofia voltado para o ensino médio. Há uma destacada preocupação, teórica e sistemática, em relação à construção de um currículo que permita uma conexão efetiva com o cotidiano de aprendizagens da sala de aula, pois o aluno de ensino médio, sendo um sujeito histórico, cultural, social, valorativo, etc. muitas vezes não consegue relacionar os conceitos científicos apresentados e os seus próprios conceitos cotidianos oriundos de sua realidade, do seu senso comum. O livro desperta a necessidade de rever o papel da filosofia dentro do currículo, buscando uma conexão com todas demais disciplinas implicadas dentro desse mesmo currículo, almejando uma concretização das relações interdisciplinares que se fazem presentes no universo do cotidiano escolar, ultrapassando a dimensão de especificidade de cada disciplina, assim se alcançará uma coerência entre as aprendizagens processadas em sala de aula.” Prof. Rodrigo João Friedrich (Prof. Supervisor da Escola Manoel Ribas)

Essa foi uma proposta de extrema importância para pensar estratégias que possam trazer sentido, para os alunos, dos conceitos trabalhados tanto na disciplina de Filosofia quanto em outras. Desse modo, o estudante pode vivenciar os conceitos das temáticas estudadas e, só assim, esse conhecimento terá um sentido para a vida deste. Além disso, a leitura deste livro nos ajudou a perceber que a inserção da Filosofia no currículo implica uma conexão com as demais disciplinas, concretizando uma prática interdisciplinar diária, a qual o Professor Ronai denomina “transversalidade pedestre”. Uma prática interdisciplinar em que as disciplinas caminhem lado a lado para que o ensino do educando se torne completo, isto é, contribua para fazer com que professores e alunos percebam que as disciplinas e suas atividades curriculares precisam estar integradas. A leitura nos levou a refletir sobre como reanimar o aluno trazendo-o de volta a criatividade, a autonomia para que o mesmo veja algum sentido na vida. Além de como conduzir os problemas dos alunos a partir das aulas de Filosofia juntamente com os conteúdos, não deixando que o momento da disciplina vire um espaço de conversa oriunda do senso comum.” (Bolsista PIBID Clarice Machado)

O livro do prof. Ronai traz uma perspectiva nova para trabalhar com a disciplina de Filosofia, em que são aprofundadas questões sobre o ensino de filosofia, ao mesmo tempo em que traz uma linguagem acessível. A discussão é explorada de modo a fazer com que o futuro professor de Filosofia reflita sobre os conteúdos e as influências deste com respeito ao ensino não apenas desta disciplina de Filosofia, mas sua relação com as outras disciplinas do Ensino Médio.” (Bolsista PIBID Maria de Lurdes Mieczikoneski Rosa)

Quando se pensa didática ou até mesmo o currículo em filosofia para o ensino médio, o prof. Ronai coloca que devemos poder pensar conceitos e a escolha de conteúdos de um modo que as propostas de trabalho ajudem a enriquecer o currículo de filosofia. A disciplina de Filosofia pode oferecer ao aluno muitas habilidades, por exemplo, tornar o aluno mais reflexivo e mais crítico, que podem adquirir proveitos na sua formação e serrm utilizadas também nas outras disciplinas. Conforme Ronai coloca “a Filosofia é uma disciplina voltada para a análise e reflexão dos conceitos fundamentais que estruturam o pensamento e da ação humana e por isso pode comprometer-se com estudos que visam identificar aqueles conceitos e aspectos fundacionais que estruturam as diversas áreas do conhecimento” (ROCHA, 2015, p.32). O prof. Ronai ainda reitera que é necessário refletir sobre como encaixar todos os conteúdos do currículo de filosofia, conforme as orientações curriculares, buscando metodologias que possam deixar a aula de filosofia significante ao aluno onde que o aluno possa levar o que aprendeu da filosofia para sua vida, e não ficando somente na sala de aula.” (Bolsista PIBID Sidimar Pressi)

Podemos evidenciar o quão é importante um livro no qual se preocupe com tema o ensino de filosofia e currículo, principalmente por estarmos diretamente inseridos no âmbito escolar no ensino médio, verificando as dificuldades existentes tais como: uma didática, metodologia e planejamento de forma que auxilie o docente em suas atividades escolares. O livro aborda as questões de forma bem clara para que possamos fazer a diferença em sala de aula, pensando no ensino de filosofia apropriado interligando a disciplina de filosofia com outras disciplinas do ensino médio, a fim de possibilitar ao estudante uma boa reflexão e atuação de forma crítica em sala de aula e no mundo fora dela. Segundo ROCHA (2015) “A escola é o lugar de aprendizagens valiosas e complexas, que exigem um trabalho cuidadoso, sistemático, demorado”. Partindo disso cabe a nós propiciar aulas que despertem e estimulem o desenvolvimento do estudante e particularmente a nossa percepção referente a necessidade de mudanças em nossa formação.” (Bolsista PIBID Ana Alice Silva Santos)

“Neste livro o autor defende que a filosofia deve andar lado a lado das demais disciplinas do currículo escolar, tendo em vista a interdisciplinariedade. Ele faz uma critica em relação ao modo que os conteúdos são selecionados, pois é dado ênfase nas peculiaridades de cada disciplina, sem pensar umas nas outras para encontrar pontos em comum, que possa beneficiar uma melhor aprendizagem dos alunos. Ler essa obra me trouxe uma reflexão a respeito do papel atribuído à filosofia no currículo escolar, pois, enquanto disciplina do currículo do ensino médio, ela parece, por um lado, ter o dever de ir em busca das demais para exercer a interdisciplinariedade, mas, por outro, isso parece improvável de acontecer, porque não existe um bom planejamento curricular que possibilite de forma significativa para o aluno uma constante interação das disciplinas.”  (Bolsista PIBID Amanda Pires Pedrozo)

De acordo com Ronai, a filosofia não pode continuar trabalhando de forma isolada, é preciso que haja uma conexão para com as demais disciplinas. Apenas assim poderia haver uma verdadeira transversalidade pedestre, isto é, um ‘fazer o caminho juntos’. Ainda, o autor relata a ambiguidade que existe ao seio mesmo da filosofia, isto é, alguns pensam que, por exemplo, lógica e argumentações para ensinar e outro grupo acham que o melhor seria a ética e política, de modo que colocamos necessariamente a pergunta: O que ensinar como conteúdo? Por conseguinte, ao meu entender, parece que o autor enfatiza uma multidisciplinaridade, uma transdisciplinaridade e enfim, uma interdisciplinaridade, se se quiser fazer a filosofia para os jovens, isto é,  crianças e adolescentes, faz-se necessário dialogar com a psicologia da educação e aprendizagem, da antropologia, sociologia etc. Apenas assim, se pode elaboraria um currículo que responderia, ou melhor, que faria parte do campo universal dos educandos (crianças e adolescentes).” (Bolsista PIBID Frantzy Fanfan)